Casamento é para toda vida e não adianta dizer que se não der certo você vai partir para outro, porque não é assim que funciona.



Casamento é coisa muito séria e deve ter como base o amor entre duas pessoas. Isso é o basicão, mas não é só isso. Primeiro é importante fazer uma boa diferença entre amor e paixão, porque é bem fácil se confundir as bolas e “dá com os burros n’água”.

Paixão não é uma emoção restrita a um relacionamento entre um homem e uma mulher, é um excesso de entusiasmo por alguém, ou alguma coisa, é uma emoção intensa capaz de alterar o comportamento, o pensamento e deixar a pessoa “fora de órbita”. A paixão pode ser uma atração intensa por alguém, assim como pode ser um amor doentio por um time de futebol, por um esporte e até por uma religião. A paixão é curta, intensa e destruidora.

Amor é outra conversa. O amor está devidamente definido num dos mais belos capítulos do Novo Testamento, veja: O amor é paciente, o amor é bondoso. Não inveja, não se vangloria, não se orgulha. Não maltrata, não procura seus interesses, não se ira facilmente, não guarda rancor. O amor não se alegra com a injustiça, mas se alegra com a verdade. Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.” (1 Coríntios 13:4-7). Por esta definição, qualquer sentimento, ou emoção que não se enquadre no padrão bíblico de amor pode ser paixão, ou dor de barriga, mas não é amor.

Pois bem. Feita a diferença entre amor e paixão, vamos ao casamento. O grande perigo do casamento é que ele aconteça no fogo da paixão, porque ela vai passar e aí será tarde demais. Uma perguntinha bem prática para quem pretende casar com alguém e não tem muita certeza se é amor, ou apenas uma paixão é a seguinte: você vai casar com quem deseja se deitar, ou com a pessoa com quem você quer acordar o resto de sua vida? É tiro e queda.

Casamento é para toda vida e não adianta dizer que se não der certo você vai partir para outro, porque não é assim que funciona. As pessoas criam vínculos duráveis com quem se casam, mesmo que depois se separem, ninguém vai apagar da sua vida aquilo que foi vivido. Casamento não tem meio termo, ou é um pedacinho do céu na terra, ou uma porção do inferno em vida.

Tudo começou com uma frase de Deus, veja: E disse o Senhor Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma ajudadora idônea para ele.” (Gênesis 2:18). Uma ajudadora idônea é o mesmo que uma companheira de fé, alguém com quem o homem, ou a mulher, possa dividir seus sonhos, suas tristezas e alegrias, alguém com quem dividir sua própria vida, com quem seja uma só carne.

Todo casamento de verdade é feito no céu por Deus. Como assim? Existe casamento que não é feito por Deus? Claro que sim. Tem muita gente boa que faz casamentos atrapalhados, sem que Deus esteja no centro do negócio. O segredo do casamento é que Deus seja o ponto de convergência entre os cônjuges, porque esta é a única garantia de que tal casamento foi feito nos céus e será feliz.

Felicidade no casamento é outro ponto a ser observado. Ninguém casa para ser feliz, as pessoas se casam, porque  são felizes um com o outro. Isso é muito importante, porque toda jornada tem seus altos e baixos, seus tempos de paz e seus dias de deserto, tempos de pastos verdejantes e vales da sombra da morte.

Não se engane, nenhum casamento é a perfeição na terra, antes, é um processo de conhecimento, de confiança a ser conquistada, de dedicação ao outro, de conquistas e perdas e é para isso que nos casamos, para suportar as dores desta vida tendo alguém com quem dividir bons e maus momentos. É assim que está escrito: Melhor é serem dois do que um, porque têm melhor paga do seu trabalho. Porque se um cair, o outro levanta o seu companheiro; mas ai do que estiver só; pois, caindo, não haverá outro que o levante.(Eclesiastes 4:9-10).


Resumindo. Um casamento feliz acontece quando vem do coração de Deus para a nossa vida, quando Jesus é o centro do lar, quando a base é o amor verdadeiro, quando a paixão é apenas parte da felicidade. Deus quer o melhor para Seus servos e o casamento é a única coisa que sobrou do paraíso.

Compartilhe isso:

CONVERSA

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe seu comentario